37ª Feira do Livro de Canoas começa na próxima sexta-feira, 01/10

Com mais de 90 escritores, entre canoenses, nacionais e internacionais, e cerca de 80 atividades presenciais e online, a 37ª Feira do Livro de Canoas começa na próxima sexta-feira (1º). A cerimônia de abertura acontece, às 11 horas, na Praça da Bandeira, localizada em frente à igreja matriz São Luís Gonzaga, no Centro. Em formato híbrido, com o tema 26 letras e infinitas conexões, a programação segue até o dia 12 de outubro. O evento, organizado pela Secretaria Municipal da Cultura, tem a curadoria de Luciano Alabarse e patrocínio da Corsan e Banrisul Vero.

Durante toda a Feira, a patrona Lilian Rocha vai marcar presença. Mesas de conversas, palestras, atrações artísticas, sessões de autógrafos, contação de histórias, oficinas e aulas-espetáculo marcam a programação da festa literária. Entre os escritores confirmados destaca-se: Alexandra Lucas Coelho, Anna Mariano, Ayesha Harruna Attah, Caetano Galindo, Claudia Tajes, Cristiano Goldschmidt, Daniel Galera, Eucanaã Ferraz, Eduardo Bueno, Francisco Marshall, Heloísa Buarque, Isabela Figueiredo, Jeferson Tenório, Joca Terron, José Falero, Luís Augusto Fischer, Marcelo Labes, Nilson Souza, Paula Teitelbaum, Paulo Scott, Stenio Gardel, Toninho Vaz, entre outros.

A programação foi conceituada por tipos de escritas: criativas, negras, resilientes, de mulheres, poéticas, do fim do mundo, distópicas, midiáticas, urgentes, clássicas e de livrarias. Esses temas pautam as Sessões Gala que ocorrem diariamente às 19h. Durante os 12 dias de Feira, será possível o público conferir a diversidade cultural nas 16 bancas de livreiros. Para acessar as atrações nos auditórios é necessário apresentar a carteira de vacinação, com pelo menos a primeira dose realizada contra a Covid-19.

Lilian Rocha é a primeira patrona negra do evento
Lilian Rocha, 55 anos, é a primeira patrona negra da 37ª Feira do Livro de Canoas. “O fato de eu ser mulher negra é importante para a representatividade. Mas não é estanque. Recebi retorno de muitas mulheres negras e não negras que se sentiram representadas com a minha eleição”, salienta Lilian. Autora de A Vida Pulsa – Poesias e Reflexões (Editora Alternativa, 2013); Negra Soul (Editora Alternativa, 2016); Menina de Tranças (Editora Moderna, 2018 e finalista do Prêmio Minuano de Literatura 2019), entre outras participações em cerca de 50 antologias brasileiras e portuguesas. Lilian é farmacêutica e atua como analista clínica há 33 anos. Nos últimos dez anos, a ocupante da cadeira 49 e diretora de Relações Sociais da Academia de Letras do Brasil – Seccional RS, dedicou-se a produção literária independente e coletiva.

Homenageados
Os psicanalistas Mário Corso e Diana Corso que, além de compartilharem a mesma profissão, também são parceiros de vida e literatura, são os homenageados desta edição. A feira celebra ainda as obras de Josué Guimarães, que em 2021 completaria 100 anos e dos canoenses Walter Galvani e Decio Dalke, in memoriam. O encontro acontece no domingo (10/10), às 21h, com a participação de Sergius Gonzaga.

Parcerias institucionais
Marcam presença no evento as já tradicionais parcerias com as universidades de Canoas UNIRITTER, UNILASALLE e ULBRA. Assim como o SESC Canoas, que sedia a programação artística. A novidade deste ano é a chegada da PUCRS como parceira do evento, que através de seu Departamento Cultural, realizará a mesa com escritores portugueses Alexandra Lucas Coelho, Afonso Reis Cabral e Isabela Figueiredo, que ocorre no dia 06 de outubro.

A produção local em evidência: durante cinco dias de programação, o público acompanha as sessões de autógrafos de escritores canoenses, que destacam a produção literária dos autores e poetas da cidade. Na abertura, o público poderá conferir o Coral de Canoas, às 11h, na Praça da Bandeira, e no final do dia, performance de Pedro Longes, artista canoense, que se apresenta às 18h30 no Teatro do Sesc.

Performances artísticas: a maratona literária é encerrada diariamente com performances de atrações como Richard Serraria, Jonatan Ortiz Borges (teatro lambe-lambe), Canoas Coletivo de Dança, Adriana Deffenti, Rodrigo Nassif Violão e Jazz, Glau Barros, Zé Caradípia, entre outras. No domingo, 03 de outubro, o público confere um recital em homenagem à Luiz Melodia, com a participação do biógrafo do compositor, Toninho Vaz, que lança nacionalmente a obra na feira, com participação do músico Renato Piau.

Quatro aulas-espetáculos também integram a programação: “Todas as Horas do Fim: Torquato Neto” com Toninho Vaz, “Clarice Lispector: A Hora da Estrela” com Anna Mariano, Deborah Mutter e Cátia Simon, “Bob Dylan, músico e poeta” com Eduardo Bueno e “A queda para o Alto: Caio F. e João Gilberto Noll” com Flavio Ilha, Márcia Ivana e Cristiano Goldschmidt.

Todas as atividades da 37ª Feira do Livro de Canoas são gratuitas e a programação completa, assim como outras informações podem ser conferidas pelo site https://www.canoas.rs.gov.br/feiradolivro
A 37ª Feira do Livro de Canoas é uma realização da Prefeitura de Canoas – Secretaria Municipal da Cultura com Patrocínio Master da Corsan e patrocínio Banrisul Vero. Financiamento da Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal.

Distribuição de ingressos para shows/espetáculos
Para cada show/espetáculo, serão disponibilizados 120 ingressos cortesia pelo SESC, os quais estarão impressos e serão distribuídos 1h antes de cada atração, diretamente na portaria do teatro. Como a capacidade atual permitida é de 150 pessoas (segundo decreto atual), estamos considerando um desconto da quantia para equipe artística, técnica, produção da Feira e produção Sesc.

Tema Literário: Centenário de Josué Guimarães (7 de janeiro de 1921 a 23 de março de 1986)

Natural de São Jerônimo, o gaúcho Josué Guimarães tornou-se famoso nacionalmente pelos seus romances, mas iniciou sua vida como jornalista muito cedo. Em 1951, foi eleito o vereador mais votado do município de Porto Alegre. A literatura entraria tarde na vida de Josué Guimarães, só aos 49 anos ele lançaria seu primeiro livro, a coletânea de contos Os ladrões. Dois anos depois do primeiro livro, Josué daria um salto com a publicação da primeira parte da mais conhecida de suas obras, o romance A ferro e fogo I – Tempo de solidão. Esse livro aborda a colonização alemã no Rio Grande do Sul. A segunda parte do livro, Tempo de guerra, sairia dois anos depois. O terceiro e último volume (Tempo de angústia) ficaria inconcluso.

Fonte: Escritório de Comunicação PMC

Deixe um comentário