Canoas apresenta a patrona da 37ª Feira do Livro

Observadora da vida, que encontra o extraordinário no cotidiano, como ela mesma conta. Aos 55 anos, Lilian Rocha foi eleita patrona da 37ª Feira do Livro de Canoas e prepara-se para participar da programação híbrida de 1º e 12 de outubro. As atividades presenciais estão previstas para ocorrerem na Praça da Bandeira, localizada em frente a Igreja Matriz São Luís Gonzaga pela Secretaria Municipal da Cultura de Canoas e deve apresentar mais detalhes da atividade nas próximas semanas.

Farmacêutica, Lilian Rocha atua como analista clínica há 33 anos. Mas, desde que foi alfabetizada, aos 8 anos, a portoalegrense começou a escrever versos que distribuía para a família. "Meus pais sempre incentivaram a leitura. Como eu era a caçula, eu herdada também os livros dos meus irmãos", conta.

Nos últimos dez anos, a ocupante da cadeira 49 e diretora de Relações Sociais, da Academia de Letras do Brasil - Seccional RS, dedicou-se a produção literária independente e coletiva.

"Se não fosse o livro e a arte as pessoas estariam sufocadas".

"A minha poesia e escrita sempre vão trazer alguma reflexão. Mas, escrevo para que as pessoas possam pensar para transformar, de alguma forma, suas vidas", expressa Lilian Rocha. Indicada pela Associação Gaúcha dos Escritores (AGES) para ser patrona da festa dos livros canoenses, a autora destaca que já participou como representante do Sopapo Poético em edições anteriores de Feira e também dos escritores canoenses.

Com alegria e muitas expectativas para a 37ª Feira do Livro de Canoas, a Lilian Rocha pela primeira vez atua como patrona. "Espero que as pessoas possam participar e aproveitar a diversidade de assuntos e autores e que as atividades possam trazer enriquecimento. A cultura foi a grande válvula de escape neste momento de pandemia. Se não fosse o livro e a arte as pessoas estariam sufocadas".

Deixe um comentário