Empresa gaúcha (METASA) envolvida com o doleiro/bandido Youssef ainda tem esquema na Petrobras???

Empresa gaúcha (METASA) envolvida com o doleiro/bandido Youssef ainda tem esquema na Petrobras???

METASA NEGOCIA COM PETROBRÁS A ENTREGA DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARA OS MÓDULOS DA P-71

O naufrágio dos módulos de geração do FPSO P-71 – A balsa Locar V, de propriedade da Locar, naufragou parcialmente na noite de sábado (18/5/2019) enquanto transportava dois módulos de geração de energia da plataforma P-71 – o último dos seis FPSOs replicantes da Petrobras. O incidente ocorreu na costa de Itajaí (SC) sem deixar vítimas ou provocar vazamento de óleo. A balsa era rebocada pelo rebocador TS Favorito, da Tranship.

No mercado, já existem empresas se movimentando para oferecer soluções à estatal. É o caso da Metasa, que dispõe dos chamados “pancakes”. Essas estruturas são os níveis (pisos) onde são posicionados os equipamentos principais que compõem os módulos. Eles já estão prontos, pois restaram disponíveis nas fábricas da Metasa (a que pagou R$ 3 milhões de propina para o doleiro/bandido Youssef, via MO Consultoria e Laudos Estatísticos) de outro projeto similar da Petrobrás. “A vantagem é que por já estarem praticamente prontos, permitiriam ao construtor iniciar de imediato a montagem dos equipamentos, o que representaria uma redução de até 6 meses no prazo, caso seja necessária a fabricação de novos pancakes”, detalha a executiva da ilibadíssima Metasa, do departamento comercial da empresa gaúcha. Enquanto a realiza conversas para participar deste projeto da P-71, a companhia também se movimenta em outros empreendimentos. “Já conseguimos conquistar contratos importantes como UPGN do COMPERJ junto a KM e os módulos do [FPSO] MV31 – que estão sendo construídos pelo EBR. Além destes contratos, concluímos há alguns meses um fornecimento importante para a Andrade Gutierrez para a Refinaria da Axion na Argentina”, detalhou Mara.

Os caras (da Metasa da cidade de Marau-RS) pagaram porpina para entrar do Dique Seco de Rio Grande e ainda fornecem para a Petrobras? Atenção MPF!!! Atenção PF!!!

Lembrar é viver!!!

21/11/2014 18h36 – Atualizado em 21/11/2014 18h36

Metalúrgica do RS admite contrato com empresa de fachada de Youssef

Em documento enviado ao Senado, a Metasa diz ser investigada pela PF. Empresa gaúcha fez depósito de quase R$ 3 milhões à MO Consultoria e Laudos Estatísticos. Com sede em Marau, Norte do Rio Grande do Sul, a Metalúrgica Metasa é investigada na Operação Lava Jato da Polícia Federal (PF) por ter feito depósitos para uma empresa de fachada do doleiro Alberto Youssef. A informação consta em um relatório enviado pela própria companhia, nesta sexta-feira (21/11/2014), à CPMI da Petrobras no Senado.O documento aponta que a justificativa para o depósito seria um contrato de consultoria. De acordo com a Polícia Federal, a mesma prática foi utilizada por todas as empreiteiras investigadas na operação Lava Jato para supostamente desviar e lavar o dinheiro desviado de obras da Petrobras.

A Metasa, de acordo com a CPMI, depositou quase R$ 3 milhões nas contas da MO Consultoria e Laudos Estatísticos que é uma empresa de fachada de Youssef, conforme denúncia do Ministério Público Federal. Nas explicações enviadas ao Senado, a Metasa admite o envio do valor, mas alega que não existem nos arquivos da empresa qualquer registro para comprovar a prestação dos serviços ou o objeto do contrato com a MO Consultoria e Laudos Estatísticos.

A empresa gaúcha também assumiu no documento que é investigada por peculato e lavagem de dinheiro em um inquérito. Procurada pelo G1, a Metasa ainda não se manifestou oficialmente sobre o tema.

A METASA AINDA TEM ESQUEMA NA PETROBRAS???

Deixe um comentário

Envie um Comentário