Esquenta investigação do STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre desembargador do TJ-RS (Tribunal de Justiça do RS)

Além da ação perpetrada na primeira semana de outubro no TJ-RS (Tribunal de Justiça do RS), vítimas do “esquema” serão ouvidos por uma poderosa subprocuradora-geral da República, que comanda o inquérito na PGR (Procuradoria-Geral da República)

O Site IMPRENSALIVRERS já apurou que dois advogados, que foram vítimas diretas da ação investigada, serão ouvidos em Brasília, em breve.

O que mais chamou a atenção de ministros experientes do STJ (Superior Tribunal de Justiça), foi a juntada de uma fotografia na qual aparece uma advogada estendendo uma faixa na porta central do TJ-RS, na qual, denunciava a invasão criminosa do seu escritório, em horário fora do expediente, por ordem de um desembargador, onde atuava o magistrado ora investigado. É pública a relação pessoal deste com uma das partes.

Advogada que teve escritório lacrado faz protesto solitário em frente ao TJ  | Rio Grande do Sul | G1

Dada as relações e o conhecimentos dos fatos dos dois advogados que serão ouvidos em Brasília, é certo que as coisas irão tomar um rumo muito parecido ao vergonhoso caso do TJ da Bahia. O Site também soube por uma fonte com credibilidade indiscutível, que advogados, ex-dirigentes da OAB-RS, podem ter influenciado o magistrado, que por sinal, faleceu de Covid.

Outro fato que chamou a atenção da PGR e ministros do STJ foi a inexplicável atuação de uma desembargadora, que atuou como julgadora no 1º grau e revisora da sua própria decisão no 2º grau, sem dar-se por impedida.

Deixe um comentário