Metoprolol é a nova aposta no tratamento terapêutico contra covid-19

Administrado durante três dias, remédio para doenças cardiovasculares reduz a demanda por ventilação mecânica em pesquisa com 20 pacientes. Preço da droga, cerca de R$ 12, também chama a atenção. Cientistas da Espanha planejam novo ensaio com 350 voluntários

Um medicamento de custo barato — cerca de 2 euros (R$ 12) — e amplamente utilizado para tratar doenças cardiovasculares pode ser uma nova opção terapêutica contra o novo coronavírus. Pesquisadores europeus observaram, em um estudo clínico, que a droga metoprolol ajuda a tratar problemas pulmonares em pacientes com a forma grave da covid-19.

Os resultados publicados no periódico especializado Journal of the American College of Cardiology (JACC) são preliminares, pois foram observados em um grupo pequeno de doentes, mas os responsáveis pela descoberta estão animados com o efeito e pretendem, como próximo passo da pesquisa, avaliar o desempenho da droga em um grupo maior de pacientes.

No artigo, os cientistas explicam que a forma mais grave da covid-19 gera insuficiência respiratória grave, um problema que requer intubação e está associado a uma alta taxa de mortalidade. “A infecção pulmonar desencadeada pelo vírus Sars-CoV-2 pode progredir para a síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), na qual a inflamação e a hiperativação de neutrófilos (células de defesa) desempenham um papel central. Atualmente, há uma falta de terapias para a SDRA associada a covid-19”, escrevem.

No artigo, os cientistas explicam que a forma mais grave da covid-19 gera insuficiência respiratória grave, um problema que requer intubação e está associado a uma alta taxa de mortalidade.

A equipe saiu em busca de alguma droga que pudesse ajudar esses pacientes, e, entre diversos medicamentos, escolheu o metoprolol. Estudos anteriores indicaram que esse remédio é uma boa opção para regular a ativação exagerada de neutrófilos em situações de estresse agudo, como um infarto do miocárdio.

Para avaliar se isso funcionaria em caso de infecção pelo Sars-CoV-2, os cientistas testaram a droga em um grupo de 20 pessoas intubadas em função da covid-19. Parte dos pacientes recebeu, de forma intravenosa, 15mg da droga por dia, durante 3 dias. O grupo controle recebeu soro.

Os especialistas analisaram secreções presentes no interior do pulmão dos pacientes antes e após o tratamento. Observaram que aqueles que receberam a terapia experimental apresentaram melhora na hiperativação dos neutrófilos e na oxigenação, quando comparados ao grupo controle.

Ficou claro que, entre os pacientes tratados com metoprolol, foram necessários menos dias em ventilação mecânica e, portanto, uma estadia mais curta na UTI”, detalha, em comunicado, Arnoldo Santos, intensivista do Centro Nacional de Investigações Cardiovasculares Carlos III, na Espanha, e um dos autores do estudo.

A equipe destaca que o estudo é inicial, mas que os dados são promissores. “Embora precisemos ser cautelosos com resultados de um ensaio piloto, observamos que o tratamento com metoprolol, nesse ambiente clínico, é seguro, está associado a uma melhora na saúde pulmonar e parece levar a melhorias rápidas na oxigenação do paciente”, afirma Borja Ibañes, também autor do estudo. “Esse medicamento parece ser uma intervenção promissora, que pode melhorar o prognóstico de pacientes com covid-19 gravemente enfermos”, acrescenta.

Deixe um comentário