Montadora chinesa GWM (Great Wall Motors) entra no Brasil e compra fábrica da Mercedes

A montadora chinesa GWM (Great Wall Motors) anunciou nesta semana que terá ainda em 2021 sua linha de produção no Brasil após comprar a fábrica que pertencia à Mercedes-Benz em Iracemápolis, interior de São Paulo.

Slide 2 de 2: Empresa chinesa montará picapes e SUVs em fábrica que era da Mercedes em Iracemápolis, no interior paulista

De acordo com o comunicado oficial da empresa, a entrega da unidade fabril ocorrerá ainda neste ano e a capacidade de produção será de 100.000 unidades/ano, proporcionando também a criação de 2.000 empregos na região.

O valor da venda da fábrica não foi divulgado. O grupo Daimler AG divulgou que “segue comprometido com o Brasil”, mantendo a presença no País com o atendimento em mais de 50 concessionárias e nas suas unidades em São Bernardo do Campo, Campinas e Juiz de Fora.

Chineses no Brasil e o “Fusca elétrico”

Por outro lado, a chegada oficial da Great Wall no Brasil confirma uma especulação que já era dada como certa há alguns anos. Ao contrário de outras montadoras chinesas, a GWM chega diretamente ao País sem parceiros comerciais ou mesmo com a associação de um importador brasileiro.

Os primeiros modelos a serem produzidos no Brasil serão picapes e SUVs e há a intenção de fazer do País uma base para exportação para os países vizinhos. Também se espera num futuro próximo a produção de carros híbridos e elétricos na fábrica brasileira.

A aposta da GWM é o momento atual de retomada do mercado – com problemas de falta de peças no mundo todo desde a pandemia e fila de espera de muitos carros novos, os modelos chineses tendem a ter bom potencial de vendas por terem preços mais competitivos.

Presente em mais de cem países, a Great Wall é líder de vendas de utilitários na China, com mais de 1.1 milhão de carros vendidos em 2020, incluindo a picape média Poer – há quem diga que este deve ser um dos primeiros modelos a chegar no Brasil.

Nos carros elétricos, a empresa fez parceria na China com a BMW, investindo mais de 700 milhões de dólares em sua divisão específica para este setor (chamada de ORA). De lá sairão os modelos como o Ballet Cat, que foi apelidado de “Fusca chinês elétrico” (ele antes era conhecido como Punk Cat).

ORA Fusca eletrico chines (2)

Apresentado no Salão de Xangai deste ano e com design claramente inspirado no popular modelo da Volkswagen dos anos 1960, o carro pode também vir ao Brasil, mas não há informação a respeito da vinda deste modelo por ora.

Deixe um comentário