16.5 C
Porto Alegre
14 de agosto de 2022
-Patrocinado-

O impacto da venda de medicamentos sem receita médica fora das farmácias pode falir cerca de 61,4% das pequenas empresas brasileiras

Até o presente momento, não há estudos econômicos que comprovem com exatidão a redução dos preços dos medicamentos fora das farmácias. Pelo contrário, os preços de produtos vendidos pelas farmácias, em grande maioria, são mais baratos nestes estabelecimentos.

O impacto da venda de medicamentos fora das farmácias podem falir cerca de 61,4% das pequenas empresas estabelecidas no país e causar um desemprego sem precedentes.

Sem nenhuma dúvida, o impacto dessa proposta irá refletir diretamente nos pequenos empresários do varejo farma, sobrecarregando os postos de saúde públicos e dificultando o acesso a medicamentos de prescrição.

É urgente e necessário entender que medicamento isento de prescrição não significa ser isento de orientação. Os riscos existem e está no farmacêutico o papel central de orientar o uso, alertar sobre os riscos da automedicação e informar as alternativas baseadas em sua qualificação profissional.

O projeto do deputado Glaustin da Fokus (PSC) quer permitir que medicamentos que não necessitam de receita médica como analgésicos, antiácidos, laxantes, antifúngicos e anti-histamínicos pudessem começar a ser vendidos em supermercados e lojas de conveniência.

- Patrocinado -

Artigos Relacionados

Fique conectado

2,758FãsCurtir
2,655SeguidoresSeguir
856InscritosInscrever

Últimas Notícias