Pelotense H2O + Guto Operação + Zé Gotinha ou Humberto Lague = Rolos

Pelotense H2O + Guto Operação + Zé Gotinha ou Humberto Lague = Rolos

Lembrar é viver: Quanto a este último nome, uma série de especulações sucedeu-se em 2012. Durante o segundo mandato de Adolfo Fetter Jr. um sujeito (Humberto Lague ou Zé Gotinha) costumava frequentar a prefeitura assiduamente. Muitos vereadores começaram a perguntar-se quem era aquele homem e que cargo exercia e entraram, em julho de 2012, com um pedido de explicações à prefeitura. O então chefe de gabinete do prefeito Fetter emite respostas ao pedido de esclarecimento em 18 de julho de 2012. São trechos da explicação: “Humberto Lague não tem, nem teve, nenhum vínculo funcional com a administração Fetter Junior. […] Atuou como voluntário a partir de 2008 […] indicado pelo PTB. […] Não existe qualquer vínculo funcional entre Humberto Lague e qualquer dos citados”. Na mesma época surge também um vídeo (de origem e veracidade não confirmada) em que o vice-prefeito da gestão, Fabrício Tavares, aparece conversando com outra pessoa sobre Humberto Lague. Ele comenta o pedido de explicações e afirma que Lague era o interlocutor tanto dele quanto de Fetter e que fora apelidado de Zé Gotinha, em referência à forma como fazia pagamentos aos chefes do Executivo.

O vídeo, além de derrubar o nome de Tavares para suceder Fetter na chapa de situação, motiva a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigação das atividades de Humberto Lague na prefeitura. A proximidade de Lague com o prefeito e sua esposa, Leila Fetter, visível em muitas notícias e fotos de colunas sociais onde aparecem como amigos próximos, somada à proximidade com Larte Wanderley Sopper (há registros online, em notícias veiculadas pelo ClicRBS, de uma viagem de moto realizada por eles), vice-diretor da empresa ganhadora da licitação para a construção do “shopping popular”, também foram fatos decisivos para a instauração da CPI em setembro de 2012.  De acordo com o requerimento da CPI, esta buscava investigar “as atividades do senhor Humberto Lague junto à prefeitura municipal de Pelotas, sua influência no encaminhamento ou na definição de licitações, seja como agente investido em função pública ou particular; bem como o recebimento de valores pelo prefeito municipal Adolfo Antônio Fetter Júnior e pelo vice-prefeito Fabrício Ckless Tavares da Silva, pagos pelo senhor Lague”. Lague foi procurado por funcionários da Câmara em todos os endereços registrados por ele, mas não foi encontrado. Durante a CPI foram entrevistados vários nomes envolvidos nas suspeitas e, segundo o vereador presidente da investigação, Ivan Duarte, era claro o confronto de depoimentos que explicavam a presença e as atividades de Humberto Lague na prefeitura. No entanto, o relatório final, assinado por Ademar Ornel, isentava o prefeito e vice-prefeito das suspeitas. Por esse fato Ivan Duarte propôs que aquele relatório não fosse votado. A proposta foi aprovada pelos vereadores e a CPI estagnou-se.

Vão colocar a raposa para cuidar do galinheiro??? - Imprensa Livre RS,  Jornalismo, denúncias e fatos

Pelotense H2O + Guto Operação + Zé Gotinha foram muito parceiros. Será que Zé Gotinha anda fazendo artes em Porto Alegre??? A Ester sempre foi queridinha dos 3, viu?

Deixe um comentário

Envie um Comentário